top of page

Estudo do Rapé

Atualizado: 25 de jan. de 2022

O rapé é um pó feito geralmente de tabaco e outras ervas e cinzas de árvores que são moídos e transformados em um pó fino e aromático que é aspirado ou soprado pelas narinas. Seu uso é ancestral e já esteve bem presente em diversos lugares e épocas. Porém seu aspecto mais interessante é o uso pelas tribos indígenas e pelos caboclos da floresta, que o utilizam para diversos fins, entre eles medicinais e cerimoniais.


O rapé um aliado de valor, que assim como outras substâncias dos reinos vegetal, mineral e animal que existem nas florestas, estão ai para auxiliar e ensinar aqueles que puderem compreender que onde há vida, existe uma ciência, um ensinamento divino, que pode nos auxiliar em muitos aspectos, inclusive físicos, mentais e espirituais. Acredito na importância da valorização dessa cultura e das medicinas naturais tradicionais e ancestrais existentes e na importância do resgate histórico e preservação desses conhecimentos que correm o risco de desaparecer em meio a atual banalização de valores e de tudo que é simples e natural, que vivemos hoje.



APURINÃ (Média)

(Rapé sem tabaco).

Rapé vindo da tribo Apurinã que vive na fronteira do Acre com o Amazonas, na região Sulina da Amazônia. O rapé Apurinã de cor verde não contém Tabaco e é feito com uma planta nativa da Amazônia que a tribo mantém em segredo. Eles dizem que não plantam o seu rapé, uma vez que em algumas vilas eles têm seu “terreiro dos ancestrais”, um lugar consagrado pelos anciõess da tribo, onde ervas usadas para o preparo de sua medicina crescem ali naturalmente. Eles apenas dão água e colhem tais ervas, cuidando para que não sequem e não desapareçam. Eles utilizam o seu rapé principalmente para meditar, porém também para caçar e aguçar os sentidos em geral.

Os índios Apurinã do Amazonas, por exemplo, usam entre outras ervas, uma planta chamada por eles de awiri, que traduzem como sendo "tabaco", porém especula -se que esta planta, que nasce à beira dos rios nas épocas de estiagem, seja uma planta da família da coca ou um tipo de tabaco selvagem encontrado na Amazônia e na Mata Atlântica. Este rapé é muito utilizado para tratar rinite, sinusite e enxaqueca. Usado por os povos originários para conexão com os ancestrais.


SHUNÃ (Forte)

Tabaco orgânico, cinzas de tsunu e ervas sagradas.

Muito bom para descarrego e limpeza de energias nocivas. Ajuda na conexão com as plantas, principalmente grandes arvores que são as abuelas da floresta. Tem o poder sagrado por possuir o espirito e encanto das árvores e pode tanto te aterrar como as raízes ou te elevar como as copas das árvores.


YUBUKÃ (Forte)

Tabaco orgânico, cinzas de Anjico e ervas sagradas.

Tem o poder de conexão com os animais principalmente com a Jibóia. Trabalha rapidamente a cura física, espiritual e mental limpando esses 3 caminhos do ser.



ANJICO (forte)

Tabaco orgânico e cinza da casca de anjico.

Utilizado para doenças respiratórias, asma e bronquite, gripes, resfriados, inflamações, doenças nos pulmões e útero. Bom para buscar visão, facilita viagem astral na busca de cura e elevação espiritual.


TSUNU (médio)

Tabaco moído e cinza de tsunu.

È um rapé que atua em todo o corpo energético e ajuda na limpeza energética e física. Bom para tontura, febre, má digestão. Tira a panema (preguiça, má-sorte). Possui um espírito de grande poder, trazendo curas, proteção e descarrego de energias negativas. Muito bom para nos conectar com a mãe terra.


MURICI (médio)

Tabaco moído e cinza de murici.

Atua nos centros energéticos do baixo ventre, promovendo o aterramento e a firmeza. Bom para dores de cabeça, descongestionante e traz limpeza, muito bom para ansiedade.


CANELA DE VELHO (médio)

Tabaco moído e cinza de canela de velho.

Atua nos 3 centros energéticos: Mental, emocional e físico. Promove a limpeza no organismo, alivia dores nas juntas, ossos e costas. Ajuda a conectar com o espírito das matas.


MURICI COM ERVA DOCE (suave)

Segue a cura do Murici tradicional acrescentando otimismo, coragem e força de vontade para lidar com as dificuldades do dia a dia (espirituais, mentais e físicas). Muito indicado para depressão, angústia e ansiedade.


7 ERVAS (suave)

Tabaco orgânico, cinza de mulateiro e 7 ervas sagradas.

Bom para o equilíbrio mental , espiritual e físico e alinhamento dos chakras. Indicado para iniciantes no estudo do rapé. Pode ser usado tanto para o primeiro sopro do dia como para antes de dormir e ter bom sono e sonhos.


CUMARU (médio)

Tabaco moído e cinza de cumaru.

Rapé muito usado pelos índios Huni Kuin durante as cerimônias para clarear a mente e tirar a panema (moleza). Acreditam que este rapé possui muita sabedoria e encantos. Trabalha nos chackras da Cabeça limpando, equilibrando. Possui ação descongestionante e anti-alérgica. Combate doenças espiratórias (bronquite, tosses e gripes). Também usado para problemas cardíacos. Combate cólicas.


AFRODITE (médio)

Tabaco moído, cinza de Cumaru, canela e rosas.

Rapé rezado na energia feminina evocando toda a energia de Afrodite ¨Deusa do amor e da Beleza¨. Rapé com poder de promover o empoderamento feminino e trazer toda a energia do amor e o entendimento para caminharmos em beleza no físico e espiritual e sentir todas as situações da vida com mais perfume. Ajuda a controlar diabetes e a conter o risco de câncer. Diminui a fadiga e dá ânimo e força de vontade. Bom para as vias respiratórias, pele e ossos.


MULATEIRO (médio)

Tabaco moído e cinza de mulateiro.

Trata-se de uma medicina de interesse do público feminino devido às suas propriedades serem muito utilizadas na cosmética. ¨Conta a lenda que as guerreiras amazonas se banhavam em noite de lua cheia de um preparado da casca do mulateiro para se manterem sempre jovens e belas¨. Sendo assim o ensinamento e cura espiritual dessa medicina trata-se de olhar tudo com amor e ver a beleza em tudo. Ajuda na concentração e foco para meditação.


CABOCLINHO (médio)

Tabaco orgânico, cinzas sagradas e aniz estrelado.

Rapé que aflora a intuição e a percepção facilitando o contato com os reinos invisíveis. Traz boa energia e traz transformação. Tem o poder de deixar a pessoa mais segura em suas decisões. Rapé que proporciona bem estar.

Estimula o o bom funcionamento do sistema nervoso, bom para reumatismo e dores nas costas, ajuda na imunidade.


LUZ DE OXUM (médio)

Tabaco orgânico, cinzas de Murici e Mulateiro, Romã, Artemisia e pétalas de Rosas.

Rapé com a força do sagrado feminino, a luz divina de mamãe Oxum que com seu brilho ilumina nossas vidas. A Artemísia é considerada a erva das mulheres por auxiliar nos vários papéis diários, nos ciclos menstruais e nos trabalhos de parto. A casca de Romã trabalha com a ancestralidade e celebra o amor. A Rosa é singela significando a emoção, a delicadeza e a beleza da mulher.


YEMANJÁ (médio)

Tabaco orgânico, cinzas de Mulateiro, Cidreira e Rosas.

Rapé rezado na energia das águas de mamãe Yemanjá a Rainha do Mar. Dedicado ao sagrado feminino. Traz o equilíbrio das emoções e como ensinamento a simplicidade, fluidez, purificação e o acolhimento. Rapé do bem estar, tranqüilidade e bom sono. Purifica os maus pensamentos, harmoniza o corpo e o espírito e clarea a mente.


JUREMA (médio)

Tabaco orgânico, cinzas de Tsunu e Pó da raiz da Jurema Preta in natura.

A raiz da Jurema preta é a parte da planta usada nas cerimônias religiosas em algumas tribos do nordeste Brasileiro possui grande quantidade de DMT. É utilizada pelos pajés como uma das plantas com maior poder espiritual. Ela ajuda na melhora da clarividência e a mediunidade. Também é ótima para a limpeza energética. O rapé da jurema é também indicado para ser usado nas cerimônias com a ayahuasca por possuir uma força intensa e que pode se sentir o DMT agindo no organismo.


IANSÃ (Forte)

Cinza de Caneleiro com tabaco orgânico, folhas de pitangueira e eucalipto.

Rapé na energia de Iansã. Mulher forte e guerreira, simboliza o movimento e força. Vem trazer uma medicina intensa de muita energia, trazendo consigo o movimento, intensidade e conexão espiritual. Promove limpeza, não só do físico, na qual ajuda a amenizar dores musculares, mas também do espiritual por causa das propriedades da pitangueira que limpa e regenera o espírito, também temos o eucalipto que afasta energias negativas, limpa a aura e harmoniza.


ABUELO (médio)

Tabaco orgânico, cinzas de Cumaru e folhas de Coca.

Rapé indicado para combater náuseas e tonturas e fadigas. Para os indígenas Aymaras e Quechuas a folha da Coca é sagrada e é utilizada em cerimônias e rituais. Também é conhecida por trazer prosperidade e pelos Incas como um presente dos Deuses.


SÃO MIGUEL (forte)

Tabaco orgânico, cinzas de Tsunu e Caneleiro, sálvia, arruda e hortelã.

Rapé rezado na energia de São Miguel e indicado para proteção, limpeza e harmonização. Ideal para usar antes e depois de cerimônias.


CUMARU MENTOLADO (médio)

Tabaco orgânico e cinzas de Cumaru com Hortelã.

Rapé refrescante e de muito bem estar, bom para meditação e de boa elevação. O eucalipto afasta energias negativas, limpa a aura e harmoniza.


RAPÉS DIRETO DA FLORESTA (ACRE)


VEIA DE PAJÉ (forte)

Tabaco mói e cipó conhecido como veia de Pajé e cinzas sagradas.

Rapé de conexão forte, usado pelos pajés para obrterem visões durante suas curas e cerimônias. Previne entupimento de veias, bom para problemas de coração, regula o batimento cardíaco, alivia dores e tira o casaço.


PARICÁ (forte)

Tabaco mói e cinza de paricá.

Rapé muito Visionário e divinório que os pajés usam para entrar em transe e ter suas visões e previsões nas suas curas e cerimônias. Rapé que fornece grande resistência física e espiritual.


SAMAÚMA (forte)

Tabaco orgânico e Cinza da casca da Samaúma.

Feito com a cinza da casca da árvore mais imponente da floresta amazônica. Rapé de muita força espiritual, excelente para meditação e de grande conexão com o espírito da floresta. Rapé de acolhimento que facilita a instropecção e busca de respostas dentro de si.


PIXURI (forte)

Tabaco orgânico e Pixuri e cinza Sagrada.

Rapé de poder relaxante, melhora a circulação, diminui o stress e dores de cabeça. A semente de pixuri é utilizada de forma medicinal pelos povos do Norte e Nordeste, e em algumas cerimônias como aditivo da Ayahuasca, ajuda na proteção contra energia negativas.


SAMSARA (médio)

Tabaco orgânico, folhas de Samsara e cinzas sagradas.

Promove um relaxamento profundo. Alivia o estresse, relaxa os músculos e a mente. Ótimo para relaxar e meditar após um dia corrido de trabalho.


LOURINHO (forte)

Tabaco orgânico, erva lourinho da Amazônia e cinzas sagradas.

Rapé aromático que cuida de problemas nasais, limpa a mente. Promove a limpeza do espoiritual dando sensação de leveza no corpo. Rapé muito usado pelos povos indígenas do Acre.


TSUNU DA MATA (forte)

Tabaco orgânico, cinzas de tsunu e ervas especiais.

Rapé encorpado e mais forte que o Tsunu tradicional, mas reúne todas as curas que o mesmo traz. Ótimo para usar em cerimônias e na força da ayahuasca, indicado para limpezas .


YAWANAWÁ (médio)

Tabaco mói, cinzas de tsunu e ervas sagradas.

Feito pelos indígenas da etnia Yawanawá tem o poder de cura e traz força espiritual. Auxilia na limpeza energética e combate o cansaço físico, mental e espiritual. É usado pelo povo yawanawá depois do trabalho para relaxar e esfriar a memória. Pode ser usado a qualquer hora do dia.


KAXINAWÁ (médio)

Tabaco mói, cinzas de tsunu e ervas sagradas.

Feito pelos indígenas da etnia Huni Kuin. Ele promove o fortalecimento do espírito e a conexão com Yuxibu 9espírito da floresta). Promove a limpeza mental, concentração, foco e relaxamento corporal.

Bom para e redução do stress, diminui a ansiedade, alivia problemas de depressão. Bom para renite, sinusite, gripe e enxaqueca. Proporsiona um bom sono e sonhos.


-CANELEIRO (forte). Tabaco orgânico e cinzas de Caneleiro.

Proporciona uma força contínua e bem marcante. Atua vigorosamente no equilíbrio dos três centros: mental, emocional e físico .