top of page

Egrégoras nas Casas de Fé - Como formas-pensamento se manifestam em locais santos?

Este texto foi originalmente escrito por Pai Antero, do portal "Casa de Santo Filhos do Axé", e você pode ler o artigo na íntegra na Fonte ao final do texto.


Na verdade este tema "Egrégoras" tem tudo a ver com a nossa filosófia doutrinária que envolve a nossa querida Umbanda.


Cada Tenda/Terreiro ou Casa possui sua própria egrégora, formada pela concentração de cada um de seus membros diariamente; em cada ritual. Esta egrégora própria cresce a cada dia, com o passar dos anos; dependendo é claro da mentalização de seus membros.


No ritual de uma Gira, quando se canta "Eu abro a nossa Gira com Deus e Nossa Senhora..." esta se abrindo os trabalhos do dia; por isso é tão importante a abertura de uma Gira. Da mesma forma ocorre no encerramento de uma Gira, quando se fecha os trabalhos dentro dessa mesma egrégora.


Consequentemente, ser um iniciado de nossa Casa, significa ser aceito na egrégora do nosso Chão, e isto é uma GRANDE RESPONSABILIDADE!


A força de nosso Chão, não vem apenas dos Orixás e Guias que aqui vibram e trabalham, e nem somente dos assentamentos, mas também é resultado da "Firmeza de Pensamento", que as entidades tanto nos pedem, de cada um de seus filhos, pois isso é o que alimenta e engrandece a egrégora, que por sua vez alimenta com sua energia os trabalhos realizados.


O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, expectativas, desejos, revolta, alegrias, anseios e intenções ficam impregnados no ambiente, criando o que se chama de egrégora, que são as afinidades energéticas e ressonância.


*Egrégora. Do grego "egregoroi", do latim "gregariu", do celta "egregor", do francês "égrégor", do alemão "eggregore", do finlandês "egregoi" ...


*Egrégoras são estruturas espirituais criadas e mantidas por um conjunto de espíritos.


*Egrégora é um Campo Estrutural específico, formado pelas vibrações espirituais oriundas de muitas origens.





Estes campos estruturais chamados egrégoras são criados, mantidos, alterados e destruídos por nós, mas também devolvem energia e força a todos aqueles que participam da sua formação.


A energia espiritual devolvida pela egrégora sempre é bem maior do que a energia espiritual fornecida por nós e também é proporcional ao número de espíritos que a compõem.


Nosso chão, onde são realizados os trabalhos espirituais não é somente uma Casa, uma construção.


Além da estrutura material existe uma estrutura espiritual que é mantida por todos aqueles espíritos (Caboclos, Pretos Velhos, Crianças, Exus, etc...) e por todos os médiuns, cambonos e participantes. Esta estrutura espiritual é um tipo de campo estrutural.


Quando uma pessoa ao adentrar e pisar em nosso Chão se concentra em preces e respeita a esse lugar sagrado, ela está neste momento vibrando e alimentando o nosso campo estrutural, ela está alimentando com vibrações espirituais a egrégora dessa Casa.


Ao alimentar a egrégora ela passa a se envolver naquele campo espiritual e imediatamente passa a receber as vibrações espirituais que aquela egrégora (Campo Estrutural de nossa Casa) devolve a ela, existe uma troca de energia espiritual.


Se houver afinidade, pode-se entrar em ressonância espiritual com as vibrações espirituais da Casa e então a energia transferida será bem maior.


O resultado desta transferência de energia será notado imediatamente na vida de todos, podendo em alguns casos provocar verdadeiros milagres (curas, mudanças emocionais, psíquicas, sociais, etc..).


Por isso que Pai Antero afirma a todos os filhos, que não adianta somente conhecer a umbanda através dos livros, é necessário assumir suas responsábilidades de forma integral, estando presente nos dias de obrigações, giras e atendimentos, para assim, sentirem a força da egrégora da casa, o axé da casa etc...


A energia espiritual recebida pelas pessoas é sempre da mesma natureza da energia da egrégora.


Precisamos tomar muito cuidado com as egrégoras que ajudamos a manter, pois acabamos virando vítimas destes campos de força espiritual, e muitos deles ao invés de nos ajudarem poderão provocar perturbações incríveis em nossa vida, em nossa saúde e em nosso equilíbrio espiritual.


Estes campos estruturais chamados de egrégoras também auxiliam na proteção espiritual da Casa, pois todos aqueles seres que não tiverem afinidades com as vibrações da egrégora, serão repelidos violentamente do ambiente devido as diferenças vibratórias existentes, mesmo que insistam não conseguirão resistir as energias dissonantes.


Este efeito também se aplica as pessoas que aqui freqüentam: Médiuns, Cambones, etc...


Dizem que conhecimento é poder. Agora que você sabe que as egrégoras agem como escudos protetores de nossa Casa e que são fontes de força e poder espiritual, procurem fortalecer cada vez mais o Campo Estrutural de nosso Chão e desta forma receber mais força para sua vida.


As Egrégoras interferem na vida material e nos trabalhos realizados?


Sim. Quantas vezes entramos em algum ambiente e nos sentimos desconfortáveis, com mal estar ou até mesmo ficamos com dores de cabeça após algum tempo? O que acontece é que nossos sete corpos, como geradores e receptores eletromagnéticos, ressoam com o ambiente e as pessoas ao nosso redor, onde quer que nos encontremos. Se o ambiente está carregado com uma egrégora que se comporta de uma maneira oposta aos nossos pensamentos, com certeza ocorrerá um choque entre elas.


Os planos mentais, astrais e espirituais também vibram em frequências mais altas ou mais baixas, por esse motivo é que contamos também com os pontos de força da Casa, sempre firmados, principalmente em dias de trabalho, através de seus assentamentos. Cada Filho deve começar a prestar atenção na frequência que está, e caso perceba que a sua sintonia não está afinada com a do ambiente (sagrado), deve tentar modificá-la para não captar ainda mais as energias densas que porventura sejam trazidas do ambiente externo (profano). É por esse motivo que se realiza o trabalho de Passe Magnético com as Sete Linhas. Conforme você está em ressonância com cada tipo de vibração, você atrai aquilo que você pensa. É a origem dos termos sagrado e profano acima descritos "estar de alto astral" (significa "o estado de vibração de meu corpo está em ressonância com as altas vibrações do astral") e "estar de baixo astral" (significa que você esta em sintonia direta com espíritos e energias de baixo padrão vibracional). O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera de qualquer local têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de cada ser.


Por isso, quando pensar na saúde energética da nossa Casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Uma Casa de trabalho onde há muitas brigas, está muito carregada de fluidos negativos, o que dificulta a luz de penetrar no ambiente.


É preciso que todos os trabalhadores e frequentadores, mudem o seu padrão vibratório quando adentrarem nesse nosso chão para que sejam feitas as limpezas espirituais mais profundas em cada um e no próprio ambiente. Evitem brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. Tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de si e das pessoas a sua volta com carinho.


Não pense mal dos outros. Braveza, pragas ou chingamentos, nem pensar!


Selecione muito bem seus pensamentos e sentimentos quando vestir o branco, lembre-se que essa cor além de simbolizar a paz, também representa a pureza. Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda com as entidades da Casa para limpar essas energias densas de seu coração.


Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo?


Quanto mais opostas as egrégoras, piores as sensações; quanto mais afinidade, melhores as sensações. Esta é a base científica da "Lei da Afinidade" . Isso acontece muito, quando alguém da assistência ou mesmo um filho chega rodeado de espíritos ligados ao seu padrão vibracional baixo e passa a sentir dores no corpo, dores de cabeça, quando se choca com energias de alto padrão vibracional do nosso chão. Esse choque deixa a pessoa inquieta, e como está sintonizada com cobradores de vidas passadas, ela sente vontade de fugir dessa energia que não conhece.


Qual é o coletivo de pensamentos?


"Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és".


"Saiba eu com que te ocupas e saberei também no que te poderás tornar" - Johann Wolfgang von Goethe.


Formas-Pensamento


Existem dimensões físicas fora do que chamamos "plano material", que os ocultistas dominam há séculos mas que os cientistas ortodoxos ainda estão engatinhando em suas experiências. Nestas outras faixas vibratórias residem os pensamentos, emoções e conceitos, além dos chamados "fantasmas" ou "espíritos". O plano sutil mais próximo do Plano Material é o Plano Astral.


Por estarmos mergulhados neste oceano de vibrações eletromagnéticas sutis, nossos corpos de carne (que, através dos Chakras, são verdadeiras transmissores e receptores eletromagnéticos) estão constantemente em ressonância com estas vibrações externas que se manifestam ao nosso redor.


Colocando em palavras mais simples: pensamentos, emoções e intenções são capazes de afetar diretamente as pessoas através destas ressonâncias. Podemos fazer uma analogia dos seres humanos como transmissores/receptores eletromagnéticos, cujos pensamentos afetam e são afetados pelo ambiente que nos cerca.


Podemos emitir determinadas vibrações através da vontade e do pensamento, mas também estamos sujeitos a receber e absorver emanações que estejam ao nosso redor.


Da mesma maneira que podemos interagir com o mundo físico através dos nossos sentidos objetivos (segurando uma caneta com nossas mãos, por exemplo), todos nós somos capazes de interagir e realizar ações no Plano Astral.


Visualização


Para entender melhor, vamos fazer um exercício simples de visualização: Imagine uma taça de vinho tinto repousando ao lado do teclado. Mas não "pense" na taça... "visualize" esta taça... relaxe... respire calmamente, concentre sua mente e veja todos os detalhes da textura do vidro, a cor, o brilho, a transparência do copo, o reflexo da luz, a cor característica do vinho, imagine o cheiro delicioso... afaste todos os outros pensamentos e concentre-se apenas nessa taça.


Imagine sua mão pegando esta taça, o aspecto liso e frio do vidro em contato com seus dedos, o líquido mexendo dentro da taça enquanto você a ergue no ar. Observe o vinho contra a luz... Dê um gole imaginário nesta taça e sinta o gosto do vinho na sua boca, o sabor adocicado enquanto o líquido preenche sua boca e o cheiro do bouquet invade suas narinas... se você fez direitinho, pode até mesmo estar com água na boca neste momento. E, durante um curto espaço de tempo, você acaba de criar uma forma-pensamento. Basta que, nesse momento, TODA a sua concentração estivesse voltada para esta criação.


Esta taça de vinho que você acaba de criar é tão sólida quanto qualquer objeto "real", apenas existe em outra dimensão mais sutil e, portanto, a princípio, não interage com o plano físico. Em alguns instantes, ela será dissolvida e retornará ao que chamamos de "fluído astral". Dependendo da emoção e da quantidade de tempo que você se dedicar a esta construção astral, ela acaba se cristalizando e passa a ficar ali, diante do computador, no exato local onde você a visualizou.


Saber como trabalhar estas construções astrais é algo importantíssimo, pois delas dependem os círculos de proteção, os rituais de banimento e de conjuração, gárgulas, templos astrais, defesas psíquicas, proteção contra vampiros energéticos e um campo aberto para facilitar suas projeções.


Por esta razão, os exercícios de visualização e concentração que eu passei AQUI precisam estar dominados. A imaginação e a visualização devem fazer parte do arsenal básico de qualquer estudante de ocultismo.


Como disse aquele mago famoso da bíblia, "Onde dois ou mais se reunirem em meu nome, eu estarei entre eles". Ou seja: quando duas ou mais pessoas se reúnem ao redor de um único objetivo, estas formas-pensamento se somam e geram algo maior, mais dinâmico. E quanto mais concentrados, intensos e constantes forem estes pensamentos, maior o campo de atuação desta egrégora. Aqui está o segredo e a base da Ritualística, ou seja, da repetição. Aliás, a título de curiosidade, "ritual" vem do grego "Arithmos" (Número) da qual surge também a palavra "Aritmética" e "ritmo", mostrando que matemática, música e magia sempre andaram de mãos dadas.


Portanto é preciso olhar e viagiar as ações e pensamentos para que assim, possamos resistir a avalanche de negatividade que nos rodeia, seja nas relações sociais, nas relações familiares, na mídia, nos filmes que assistimos, nas palavras que proferimos... Tudo isso gera energias que atraem muita negatividade a nossa volta. É preciso mudar a nossa frequência energética para que nossa vida passe a receber a ajuda da Luz de Oxalá.


Epá Babá Exê Babá!




44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2_Post
bottom of page