top of page

O Mestre Interior está dentro de ti!



Primeiro princípio:

Sua vida não representa a vida real.


Para dimensionar o poder que está acima da morte, devemos compreender, em primeiro lugar, que a sua vida não representa a vida real. Vive-se em uma bolha. Herdada em grande parte de sua família, tradições, conhecimentos, crenças, religiões, temores, preconceitos, superstições, opiniões e pontos de vista. Tudo isso complementado pelas vivências de sua própria vida.


Se analisarmos com cuidado, nos daremos conta de que somos um subproduto do que outros pensaram, disseram e fizeram por você em seu lugar, sem se questionar se seus conceitos, suas religiões e suas crenças estão de acordo com a verdade, ou de acordo com o contexto sociocultural.


Você já se perguntou quais seriam suas crenças se tivesse nascido na Jordânia, em Israel, na Índia ou no Tibete? Provavelmente seriam muito diferentes das que você tem agora. O que lhe faz diferente é o pacote de crenças que depositaram em sua mente. Você pensa com o que você sabe e diz o que pensa, mas a informação que há na sua mente foi estrategicamente colocada ali no decorrer da sua vida, desde que você era uma criança.


Você interiorizou conceitos que são parte de suas crenças mais profundas e que você nunca questionou, assumindo 100% de sua veracidade, somente porque todos assim o creem. Por isso, seu mundo se transforma naquilo que você estuda. Você ensina o que lhe foi ensinado, em um sistema de educação sem fim que, a todo custo, busca lhe uniformizar para os seus propósitos. Quando o uniforme anuncia uma virtude ausente, você se veste do que faz falta no teu interior e tudo o que você diz são conceitos emprestados, que você leu em algum livro ou escutou de alguém que encontrou em um livro, esquecendo que somos um ser inteligente, individual e que a sua identidade não está limitada a conceitos de intelectuais que já estão mortos, assim como seus conceitos que, de maneira alguma, nos trouxeram soluções sobre a nossa existência.


Ou acaso você faz parte daqueles que acreditam em um planeta desenhado para uma vida que cumpra única e exclusivamente o ciclo dos animais: nascer, crescer, reproduzir-se e morrer? O sentido de sua existência é infinitamente grande, tão grande que você não imagina, mas não se preocupe. Você não tem culpa, pois você ignorava esse fato.

Sua realidade na bolha não passa de um conjunto de programações mentais impostos, grandemente adquiridos através dos meios de comunicação, que lhe impedem de pensar com clareza. Por isso você não aceita o que não se encaixa em sua bolha. E, na maioria dos casos, você não concorda com a bolha dos demais. Por isso a humanidade está dividida e sempre estará. Ao mesmo tempo que temos um estado de consciência coletiva, a arrogância não lhe deixa ver uma saída da sua bolha limitada e conformista, porque todos creem que têm razão e a têm, mas somente dentro de sua própria bolha. E é mais fácil rejeitar do que compactuar.

Segundo princípio

Cada homem é a medida de sua verdade. A verdade é um termo muito prostituído e muitos a atribuem como própria. Você deve compreender que cada um tem a sua própria medida de verdade dentro de si. É sua, e somente sua, responsabilidade achá-la e, esta, por sua vez, conserva um compromisso infinito com o seu ser, mas sempre escutará ao tolo, ao medíocre dizendo: eu estou bem assim, não preciso de mais, minha vida é boa. Falsa ilusão, a forma diminuta de visualizar-se dentro da criação.


Isso que você chama de vida é seu cárcere, por mais cômoda e formosa que seja. E assim você se considera diferente, independente, se seguir dentro dela. O pior de tudo é que você não se dá conta de que, quando seu interior, através de sua mente, consegue se libertar, então vem o entretenimento. Se ainda assim não é suficiente, lhe enchem de vícios e lhe fazem crer que isso é viver a vida e que diversão é sinônimo de felicidade. E na outra parte do tempo, você se põe a perseguir um mundo de ilusão que a sociedade lhe impõe para que você se considere alguém que valha a pena. Um sonho que você aceitou e busca a todo custo como a maior meta a cumprir dentro dos 60 ou 70 anos que, com sorte, poderia viver, deixando de aproveitar o tempo valioso que você recebeu para encontrar sua verdadeira identidade que, de maneira alguma, está ligada ao corpo físico. Ela está ligada a uma eternidade espiritual que você não conhece por ser vítima inocente de uma manipulação que manteve você e outros como marionetes inertes em toda história da humanidade. Por isso, você deve se importar, se em nenhum momento da sua vida você se perguntou: quem sou eu? De onde venho? Para onde vou?


O simples fato de você estar vivo e fazer parte deste planeta lhe torna responsável por encontrar sua identidade espiritual, onde a morte não governa e não tem poder sobre você. A verdade que ninguém pode atribuir como própria, a verdade que sempre será clara, lúcida, brilhante e pura.

Terceiro princípio

Que sua busca seja límpida e sã dentro de você. Sua busca será estéril enquanto você continuar buscando nos conceitos e crenças de sua bolha, porque você está buscando no lugar equivocado. O poder que está acima da morte está, esteve e sempre estará no mesmo lugar em que sempre esteve: dentro de você, no seu interior, não fora de você.

Está em suas mãos seguir como um tolo, dormindo na ilusão do mundo, ou acionar o mecanismo de sua verdadeira inteligência. Para sair de sua bolha e encontrar a resposta para todas as perguntas universais, as religiões fizeram o que tinham que fazer para sobreviver, agora já estão agonizantes. Já não têm espaço para fábulas de paraísos e purgatórios, dos traficantes da fé.


Está próxima a ruptura com tudo o que foi estabelecido como verdade imutável. Isso já se iniciou, mas acontecerá de maneira individual, no momento em que você compreende a lógica da compreensão universal. Perante a inegável verdade que brinda a inteligência, não a crença; a inteligência que vai conter a argumentação desgastada e batida dos tolos e ignorantes, cegos, guias de cegos. É só rever uma nova realidade, que só se pode ver com os olhos da inteligência.


Aqui está a verdadeira batalha que você deve lutar, a que vence a ignorância e derrota o fanatismo. Você tem mais valor do que o que você percebe, você sabe mais do que você estudou, você é mais que uma crença, você é um ser universal.


É hora de começar a despertar de seu mundo de ilusão e de abrir a porta ao conhecimento da majestade criadora e ao amanhecer dourado que está por vir ao nosso planeta. Busque o conhecimento, que é o princípio da sabedoria. Você não pode fazer e sem fazer você não pode chegar ao ser. Quando você reconhecer em você mesmo o poder que está acima da morte, você irá se preparar para o inevitável clarão que chegará ao planeta.


Muitos não entenderão agora, mas isso acontecerá quando estes quiserem enfrentar em sua própria hora, mas terão perdido um tempo valioso. E que você siga, não caia no erro de querer saber tudo, desprezando conhecimentos novos que lhe aparecem. Isso é uma ação negativa da inteligência que não deve prosperar em você.

Chegou o momento de tirar a venda dos olhos.


Tradução de Juliana Kurokawa do vídeo: El Maestro Interior estás dentro de ti

11 visualizações0 comentário
Post: Blog2_Post